Nomes próprios e os impróprios…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Captura de Tela 2015-08-22 às 20.21.14

De tempos em tempos a humanidade, fica meio desorientada, e quando digo a humanidade, essa pode ser o seu todo ou em partes.

Aqui por esses nossos quintalões, a cada dia vê-se que, ou sente-se que à vezes é melhor estar alienado do que estar interagindo. É improvável que pessoas de mediana inteligência levem à sério nossos políticos de plantão, se querem exemplos é só ouvir os últimos discursos de nossa representante (que Deus em sua imensa Glória, a proteja) (êpa! Não sou Evangélico, tampouco crente, mas sempre é bom pedir proteção à Alguém ou Criatura, para proteger-nos, né?), então seguindo em frente, os discursos da sujeita (aquela da qual falei à pouco) faz corar o mais incrédulo dos mortais…quanta besteira dita em tão pouco tempo por pessoa que era melhor que ficasse calada. Mas, como diz o ditado, que “em terra de cego que tem um olho é rei”, fica inteligível que quaisquer merda que se fale tem sempre alguém que irá aplaudir, ou por achar bonito, ou por achar risível, ou por achar vexatório, ou por achar ridículo, o para puxar o saco do palestrante.

Como a ”carruagem passa enquanto os cães ladram”, ouço e leio o que sai pelas bocas malditas e benditas dessa Terra Bendita, e até de outra Terras não tão benditas, mas que assim o seja e assim vejamos.

Dias destes outro plantonista, alcaide de uma das cidades mais importantes do mundo, não digo que é de São Paulo para que vocês não saibam de qual alcaide escrevo. Mas o sujeito, dito inteligente, criou um factoide, eleitoreiro e por assim dizer de uma idiotice tamanha, que entra no seu cabedal de idiotices. Disse, ou melhor o alcaide entrou com um projeto de lei, para que sejam substituídos os nomes dos logradouros(praças, ruas, viadutos, e outros dominiais) que tenham os nomes dos militares que serviram à última ditadura, e ou (vejam bem o problema que tenho e que vejo é que, não é porque são dessa ditadura ou da dita mole) foram partícipes das violências pela ditadura, praticados.

Ora bolas, se for assim, outros nomes não dessa última ditadura, mas as de as outras como ficam, deixa do jeito que está, e só para lembrar, o tal do Marechal Floriano era um sanguinário, o tal do Getúlio era ditador e outro sanguinário, e paro por aqui, pois os nomes são tantos que se vingar essa estúpida proposta de lei do Fernandinho, a maioria das ruas deverão ser trocados…

Feliz foi o então prefeito de uma cidade vizinha que para agradar as meninas que vendem seus corpos para se fazer sexo, conhecem? Então o sujeito de então, nomeou as ruas com nomes simples, sem os tais sobrenomes, então temos um bairro inteiro de: dona Francisca, dona Maria, dona Julia, dona …., e por aí vai.

A coisa está tão esquisita quer, se não me engano tem uma lei que diz que somente se dá um nome de alguém à um logradouro se ele já tiver passado desta vida, para outra. E não é que em outra cidade aqui vizinha já puseram o nome do Laudo (aquele que foi governador) para um viaduto.

Ora as incorreções são tamanhas que aqui no nosso quintalão homenageiam duas vezes meu amigo Dr. João de Souza Filho, com seu nome para dois viadutos. (vejam, para o viaduto aquele que passa por cima da rod. da Convenção e no outro viaduto aquele sobre a rod. do Açucar que dá acesso ao parque do Lago). Coitadinho deve estar virando na cova.

Tem outra coisa que me deixa intrigado, a rua em que moro, às vezes as placas indicam que é rua, noutra dizem que é avenida, e numa mesma esquina para todos os gostos tem dos dois jeitos de grafia, da mesma forma que à vezes é só Marechal Deodoro, noutras vezes tem o sobrenome do sujeito).

É por essas que certos nomes, ou sobrenomes, apelidos (impróprios ou próprios) enfim devem ficar fora de tudo, a alienação é o melhor caminho.

 Manéco

22/08/15

 

  • Anderson Morais

    Olá Manéco, como vai?

    Primeiro, quero parabenizar pelo espaço e dizer que compactuo com várias das suas opiniões e reflexões.

    Deixo apenas uma sugestão quanto a formatação do seu blog, do jeito que estar o texto fica ilegível, sendo que é preciso copiar para algum aplicativo de texto do pc para conseguir ler. Acontece que muitas vezes acesso pelo celular, aí não tem jeito mesmo de ler e nem copiar o texto.
    Bom, fica essa dica. Abraço e até mais!